terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Perguntas e respostas sobre a lei 13.589: a manutenção do ar-condicionado é obrigatória

  • 29 de janeiro de 2018
  •  
  • 5 Comentários

Após a aprovação da Lei federal 13.589 que tornou obrigatória a manutenção de ar-condicionado em prédios de uso coletivo, referente ao PMOC, muitas dúvidas surgiram a respeito de como será daqui em diante no setor, tanto para os profissionais técnicos quanto para os consumidores, que ainda fazem perguntas e buscam respostas.
Com essa grande repercussão causada pela Lei Federal 13.589, sentimos a necessidade de ajudar a divulgar alguns esclarecimentos importantes a respeito das mudanças que já estão em andamento. As questões que você vai ver em seguida foram apresentadas pela ABRAVA, e são muito úteis para que todos entendam melhor a lei e como ela funciona.
Antes disso, é importante lembrar a motivação e a finalidade da aplicação da lei no cenário atual do setor. “Foi uma longa luta, de mais de 15 anos, que agora com a aprovação desta lei trará benefícios principalmente para a saúde e qualidade de vida da população. Além disso, a manutenção planejada traz benefícios como reduções nos custos, substituição de equipamentos obsoletos, redução dos riscos de incêndios e acidentes pessoais” justifica Arnaldo Basile, presidente do Comitê Nacional de Climatização e Refrigeração e da ABRAVA.
Veja agora as perguntas e respostas frequentes sobre o PMOC:

Quem pode ser o responsável técnico pelo PMOC de sistemas de climatização?

Para responder a essa pergunta, o sistema de climatização precisa ser dividido em duas partes:
No caso dos serviços de limpeza e manutenção dos equipamentos, o responsável técnico são os engenheiros mecânicos ou industriais, modalidade mecânica ou tecnólogos da área de Engenharia Mecânica. Já nos serviços de avaliação biológica, química e física das condições do ar interior dos ambientes climatizados, quem assina são os engenheiros químicos ou industriais, modalidade química ou engenheiros de Segurança do Trabalho ou tecnólogos da área de Engenharia Química.
Lembrando que os técnicos de nível médio não podem assinar o PMOC, mas podem prestar assistência técnica e assessoria no estudo, pesquisa e coleta de dados, execução de ensaios, aplicação de normas técnicas e regulagem de aparelhos e instrumentos concernentes aos serviços de fiscalização de qualidade do ar nos ambientes climatizados.
Só é necessário ter PMOC em sistemas de climatização acima de 5,0 TRs?
Sim, isso continua como está definido na Portaria 3.523 e Resolução 09 da Anvisa.

Mas na Lei 13.589 fala que “Todos os edifícios de uso… devem dispor de um PMOC….”?

A lei determina orientações gerais. São as regulamentações específicas (no caso, Portaria 3.523 e Resolução 09) que definem as ações e detalhes da aplicação da lei. Ou seja, segue a determinação de que o PMOC, bem como a responsabilidade técnica e análises do ar, valem para sistemas acima de 5,0 TRs.

Então a Portaria 3.523 e a Resolução 09 continuam valendo?

Sim, e ganharam mais força de lei pois foram regulamentadas conforme mencionada na Lei 13.589.

E as normas técnicas da ABNT, são obrigatórias?

Sim, conforme regulamentada na Lei 13.589.

Qual a multa para quem não cumprir a lei do PMOC?

Segue a Lei 6.437, que determina multas de R$ 2.000,00 a R$ 1.500.000,00, dependendo do risco, recorrência e tamanho do estabelecimento.

Quem irá fiscalizar a nova lei?

As vigilâncias sanitárias dos Municípios, Estado e a ANVISA. Outros órgãos competentes, como Delegacias do Trabalho, também podem fiscalizar ambientes para garantir uma boa qualidade do ar interno.

Se houver discordância entre as leis, portarias, resoluções e normas técnicas, qual devo seguir?

Pela ordem jurídica, as leis têm mais força, seguida pelas portarias, resoluções e normas técnicas, por isso siga o que tem maior poder. Sempre leve em consideração também a situação técnica que favoreça a qualidade do ar interno do ambiente a ser climatizado.
Ficou com mais alguma dúvida sobre a lei 13.589, referente ao PMOC?
 A ABRAVA criou um canal direto de perguntas e respostas. Demais dúvidas poderão ser enviadas para o e-mail pmoc@abrava.com.br; as mesmas serão recebidas e respondidas por profissionais especializados no assunto. 
Redação do Portal WebArCondicionado. Com informações de ABRAVA.

Pintura transforma raios de sol em ar condicionado



Já pensou se existisse uma tinta que proporcionasse uma sensação de frescor ao ambiente ao pintar uma parede ou telhado?
Isso já é uma realidade, e não estamos falando sobre a tinta para asfalto testada em Los Angeles. Essa nova espécie de tinta refletora que estamos falando tem sido aplicada a edifícios de forma que a temperatura se torne mais amena. O resultado? Um ar condicionado e economia de energia. Resumindo, a pintura de alta tecnologia tem o poder de arrefecer as casas e escritórios que estão expostos ao calor do sol, sendo uma alternativa para conter os tradicionais aumentos na conta de luz quando está quente e o ar-condicionado é ligado.
Dentre os criadores dessa tecnologia está Yaron Shenhav, que junto a alguns colegas deram origem à SolCold – uma empresa com sede em Herzliya, em Israel -, responsável por desenvolver a solução que economiza recursos energéticos. “É como colocar uma camada de gelo no seu telhado, que é mais espessa quando há mais sol”, explica Shenhav.

Surgimento da tinta refrigeradora

Inicialmente a ideia começou por colocar nos telhados dos edifícios uma tecnologia baseada em um material projetado com um laser para arrefecer as casas. Porém, mesmo resolvendo o problema do aquecimento, montar os lasers nos telhados não seria barato nem muito prático. Com isso, a equipe começou a buscar uma outra forma de cumprir esse objetivo.
Shenhav e seus colegas criaram então um material que cumpre a mesma ideia do laser através de tinta. A pintura, composta por duas camadas (uma camada externa que filtra alguns raios de sol e uma camada interna que tem a função de fazer a conversão de calor em luz), consegue proporcionar uma temperatura abaixo da temperatura ambiente.
Segundo canais de informação de Israel, o material foi testado em laboratório e funciona, e os objetivos são mais facilmente alcançados em edifícios com telhados metálicos do que com os convencionais, funcionando ainda melhor em divisões com os tetos mais baixos.
Leia também: Telhado branco e tinta térmica ajudam a reduzir custos com ar-condicionado

Diferença é de até 10ºC

As simulações mostram que os últimos andares podem apresentar uma diferença de até 10ºC mais frio com a pintura inovadora. Dentro de dois anos a equipe pretende realizar testes pilotos em edifícios.
Lembrando que já explicamos como as cores influenciam na temperatura, porém, segundo Eran Zahavy, do Instituto Israelista de Pesquisa Biológica, a tinta apresentada como inovadora consegue maiores resultados.
A equipe envolvida na criação da tinta acredita que inicialmente a novidade será aplicada a grandes edifícios, como centros comerciais e estádios de futebol. O revestimento poderá reduzir o consumo energético em até 60%.
Mesmo não sendo barata, vai haver quem se renda a esta inovação.
Redação do Portal WebArCondicionado

Janelas do futuro captam energia solar e climatizam o ambiente

       
Até agora, as janelas que costumamos ver a nossa volta não são nada mais que aberturas utilizadas para trazer iluminação e ventilação ao ambiente. Mas no futuro a tecnologia vai torná-las janelas inteligentes. Na verdade, isso já se tornou realidade e uma equipe de engenheiros conseguiu desenvolver uma janela que capta a energia dos raios solares, muda a opacidade do vidro e inclusive climatiza o ambiente.
Unindo design e engenharia, os pesquisadores da Universidade Alemã Friedrich-Schiller criaram essa tecnologia que promete revolucionar o mercado nos próximos anos, considerando que assim as janelas são muito mais funcionais. Feitas com o design da Linha de Fluidos Wide-Area (LaWin), elas usam uma suspensão fluida de partículas de ferro. Esse fluido está contido dentro da janela em uma série de longos canais verticais, permitindo que a janela altere a opacidade e absorva e distribua o calor no ambiente.
Leia também: Tudo sobre Kits de Energia Solar
Desse modo, a novidade ganha valor sustentável por trazer economia, considerando que a luminosidade do ambiente pode ser controlada por meio de um interruptor que arrasta as nanopartículas fluidas do ferro, deixando a janela totalmente transparente, como mostra a imagem:

Janela funciona como ar-condicionado

Ao captar a luz do sol e transformar em energia, as janelas são capazes de atuar como sistemas de ar condicionado interno. Ou seja, dá para resfriar o ambiente usando a energia proveniente das janelas, algo que seria de grande proveito para prédios comerciais e residenciais ao reduzir o gasto com sistemas de refrigeração.
Para fazer isso, é necessário integrar os painéis LaWin aos vidros – o que os desenvolvedores dizem ser um processo fácil – pois já existem tecnologias mais avançadas na fabricação de vidro. A instalação é parecida com o processo de criação de vidros duplos e triplos.
Leia também: Ar-condicionado portátil movido a energia solar

Desenvolvimento das janelas é incentivado pela União Europeia

A tecnologia vem recebendo apoio desde 2015 com o financiamento do Programa Horizonte 2020, da União Europeia. Esse é o maior projeto europeu de incentivo à pesquisa e à inovação e prevê investimentos de até 80 bilhões de euros (cerca de R$ 270 bilhões) em 5 anos, abrindo espaço também para outros projetos.
Vale lembrar que o programa europeu também passou a incluir projetos desenvolvidos no Brasil. Então, se você tiver uma ideia inovadora e consistente, vale a pena pesquisar sobre as regras.

Comercialização das janelas inteligentes

A estimativa é de que demore um pouco ainda para que prédios possam ser projetados com as janelas. O produto deve passar a ser comercializado apenas a partir de 2019.
Mas e aí, o que achou das janelas inteligentes? Acredita que essa pode ser uma boa solução? Investiria nessa ideia? Compartilhe sua opinião nos comentários.
Redação do Portal WebArCondicionado

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Por que eu preciso de um ar-condicionado?

Por que eu preciso de um ar-condicionado?


No Brasil, na maioria dos estados, durante o verão os termômetros passam facilmente dos 40ºC. E no inverno, principalmente quem mora no Sul, sabe que o inverno também castiga, chegando a nevar em algumas cidades. Ou seja, pode até ser clichê o que vamos dizer agora, mas não cansamos de afirmar: o ar-condicionado já deixou de ser um artigo de luxo faz tempo, hoje ele é considerado um item necessário.
Então vamos recapitular:

Por que eu preciso de um ar-condicionado no verão?

Para combater os mosquitos e pernilongos: O ar condicionado é cientificamente comprovado um repelente para mosquitos e pernilongos. A baixa temperatura os inibe pois eles não gostam do frio.  Mas você também pode optar por uma raquete elétrica.
Para não sair suando do banho no verão: Quem não tem ar-condicionado em casa sabe do que estamos falando. Não existe situação pior do que já sair do banho suando. Dependendo da temperatura que está no dia, a pessoa pode tomar banho quente, morno ou gelado, não importa, na hora de se secar já estará suando se não tiver um ar-condicionado. E vai querer voltar correndo para o chuveiro (ou para a banheira).
No comércio, atrair os clientes: No verão muitas pessoas fogem do calor nas ruas se abrigando dentro de estabelecimentos comerciais climatizados, isso é fato. E com certeza, muitas vendas são geradas nessa hora.
Para não deixar de namorar: Por essa situação também, quem não tem ar-condicionado, com certeza, já passou. Deitar do ladinho do seu amor e não querer nem que ele encoste na sua pele por causa do calor.
Não queremos que isso aconteça, encontre logo um ar-condicionado pelo menor preço da internet.

Por que eu preciso de um ar-condicionado no inverno?

Para levantar cedo sem chorar: Para muitas pessoas acordar cedo já é uma missão quase impossível, agora imagina acordar cedo e ter que levantar da cama quando o termômetro está marcando 7ºC (se você mora na região Sul, 7ºC não é nada)? Ninguém merece.
Para não sofrer ao sair do banho no inverno: Para quem mora nas regiões mais frias do país, esse tópico a gente nem precisa explicar, não é mesmo?
Para não deixar de namorar(2): Não é só no verão que a falta do ar-condicionado atrapalha na hora de namorar. Mas no inverno é um pouco diferente o motivo. Quando está muito frio, tudo que a gente quer é ficar bem quentinho embaixo das cobertas e com bastante roupa. Ou seja, dessa forma também fica difícil de namorar.
Para deixar o ambiente mais aconchegante: Todo mundo sabe que ter um ar-condicionado com função aquecimento é mais barato e da menos trabalho do que instalar uma lareira em casa. – Mas um aquecedor pode resolver esse problema! Até pode, mas só se o ambiente for pequeno (bem pequeno).
Encontre as melhores ofertas de ar-condicionado com ciclo quente e frio.

Por que eu preciso de um ar-condicionado em qualquer estação?

Evitar umidade e formação de mofo: Sabe-se que o ar-condicionado retira a umidade do ambiente. Quando usado corretamente ele consegue manter a umidade relativa do ar abaixo de 60%, o que é ideal. E para evitar a formação e proliferação do mofo dentro de ambientes fechados, é preciso que aja esse controle da umidade.
Melhorar a qualidade do ar dentro de casa: A qualidade do ar interior não é o mesmo que conforto térmico, mas é tão importante quanto, para a nossa saúde e dos animais. O ar-condicionado é um bom aliado, pois conforme falamos anteriormente, ele controla a umidade relativa do ar, aumenta a taxa de oxigênio do ambiente e, consequentemente, reduz o número de poluentes.
Se você não tem mais dúvidas de que realmente precisa de um ar-condicionado, encontre as melhores ofertas em nosso comparador de preços.
Redação do Portal WebArCondicionado.

terça-feira, 2 de maio de 2017


6 coisas que você não sabia sobre ar-condicionado


Geralmente as pessoas só se preocupam com o ar-condicionado quando ele não está funcionando, não é? Você já parou pra pensar que há mais segredos entre sua parede e seu ar-condicionado que sua vã filosofia possa imaginar?  
Pois saiba que esse aparelho mais do que necessário nos dias quentes carrega curiosidades bastante interessantes. Quer ver? Então prepare a temperatura ideal do seu ambiente e confira essa lista que fizemos para você:

Curiosidade sobre o ar-condicionado que você certamente não sabia

1) Você fala o nome errado

O nome correto é condicionador de ar e não ar-condicionado. O ar que sai de dentro do aparelho é que pode ser chamado de ar-condicionado – ou seja, é o ar normal que está condicionado a uma temperatura menor. O que o aparelho faz é condicionar esse ar, por isso ele é um condicionador de ar. Porém, é quase unânime que todo mundo chame ele de ar-condicionado.

2) O aparelho tem duas partes

Essa talvez você já tenha notado: o aparelho de ar-condicionado é formado por duas partes, aquela que vai dentro do ambiente e a outra, que fica no lado de fora. Mas que elas se chamam condensadora (lado externo) e evaporadora (lado interno) você certamente não sabia, não, é?

3) A temperatura considerada ideal é de 23°C a 24°C

Há pessoas que sentem mais frio, outras sentem mais calor. É difícil agradar a todos, mas há uma temperatura considerada ideal para manter o ambiente confortável.
Acredita-se que deixar o local na média de 23°C ou 24°C seja agradável ao corpo humano por não necessitar de casacos e ainda assim aliviar o calorão. É uma temperatura bastante democrática que ajuda a evitar brigas entre pessoas que gostam mais ou menos do friozinho. Há ainda normativas trabalhistas que estipulam essa temperatura entre 20°C e 24°C, a escolha vai depender da região, da estação do ano e claor, das pessoas.

4) O ar frio é mais "pesado" que o ar quente 

O ar frio e o ar quente possuem densidades diferentes. Como as moléculas de ar frio ficam mais próximas umas das outras, acabam tornando este ar mais denso (mais pesado), fazendo com que "desça" no ambiente. Por isso que o aparelho de ar-condicionado deve ficar no alto. Se você colocá-lo na parte inferior do ambiente, o ar frio não subirá, atingindo o restante do ambiente com tanta eficácia.  Já as moléculas de ar quente são mais distribuídas, dividindo o peso pelo espaço. Por esse motivo que as lareiras devem ficar no chão do ambiente.

5)  Você deve fazer manutenção a cada seis meses

A maioria das pessoas só utiliza o aparelho de ar-condicionado no verão e depois esquece de fazer a manutenção. Quando volta a utilizar, acaba encontrando problemas.
É importante fazer sempre a manutenção do aparelho, limpando os filtros com frequência  e chamando um técnico para fazer limpezas mais profundas e verificar se o aparelho está em perfeito estado.

6) O ar-condicionado não foi inventado para refrescar o ambiente

Por incrível que pareça, o ar-condicionado não foi criado com a ideia principal de climatizar o ambiente para o conforto das pessoas. Ele foi inventado para resolver um problema da indústria gráfica nos dias quentes de verão.
Com o calor, os papeis absorviam a umidade do ar, impedindo a fixação das cores e deixando a imagem borrada. Com a invenção de um jovem engenheiro em 1902, a umidade diminuía e era possível fazer as impressões.
Você quer deixar sua opinião ou sugestões de outros temas? Utilize o espaço de comentários abaixo!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Pure Hot+Cool Link: Novo aparelho inteligente aquece, refresca e purifica o ar

  • 20 de janeiro de 2017
  •  
  • Nenhum Comentário
Aqui no WebAr, além de trazer notícias sobre ar-condicionado, não é novidade que falamos também sobre a importância da qualidade do ar do ambiente. Aliando esse assunto à tecnologia, hoje viemos apresentar o Pure Hot+Cool Link, da Dyson, fabricante americana do segmento.
A empresa pegou três dos seus produtos – o ventilador Dyson Cool, o aquecedor Dyson Hot e o purificador de ar Dyson Pure Cool Link – e misturou tudo em um único resultado final assim como um smartphone, que reúne vários gadgets diferentes em um único dispositivo com funcionalidade melhorada e ocupando menos espaço.
O novo Pure Hot+Cool Link quer fazer algo semelhante para ventiladores, aquecedores e purificadores de ar, utilizando essa estratégia para ganhar mercado ao oferecer qualidade do ar além de climatização.
Mas como isso funciona?
A novidade da Dyson conta com um filtro HEPA que promete remover 99,97% das partículas do ar da sua casa, assim como no seu produto anterior, o Pure Cool Link, mas agora com possibilidade também de aquecimento e ventilação. Essa tecnologia inclui acabar com algumas impurezas invisíveis como pólen, poluição do ar, mofo e bactérias, além de odores desagradáveis. Então se alguma coisa queimar na sua casa, ele pode ajudar a tirar o cheiro ruim.
Buscando promover o conceito de casa inteligente, o Pure Hot+Cool Link também se conecta via Wi-Fi aos apps da Dyson para Android e iOS. Através do app gratuito, o usuário pode realizar ações como controlar as configurações do ventilador (velocidade e temperatura); agendar um horário para ele desligar automaticamente; e verificar quando é o momento de trocar o filtro. Com ele também é possível monitorar a qualidade do ar da sua casa e especificar quão limpo você quer que ele fique.
Desse modo, se você for o responsável pelo consumo de energia, existe a chance de ativar um modo automático que liga o purificador só quando for detectada uma queda na qualidade do ar. O Dyson Pure Hot+Cool Link está sendo vendido somente no exterior por enquanto, por US$ 599. 
Redação do Portal WebArCondicionado

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Saiba o que é dimensionamento, subdimensionamento e superdimensionamento térmico

Quando o assunto é conta de luz, principalmente nos dias de hoje, muitas pessoas se preocupam. O ar-condicionado é um dos aparelhos que mais contribui para esse consumo de energia, mas se for utilizado de forma equivocada, esses valores podem ser ainda mais altos. É aí que surgem as dúvidas em relação à potência do ar-condicionado e o consumo. Diversos consumidores não buscam essas informações antes de adquirir o produto e acabam errando na escolha.
Dimensionamento correto


O funcionamento adequado de um aparelho de ar condicionado está, entre outros fatores, relacionado ao dimensionamento correto da potência, ou seja, a quantidade de BTU que o ambiente precisa. Porém, algumas pessoas ainda compram um equipamento de menor potência que o indicado pensando que assim estarão economizando dinheiro e energia.
Sim, um aparelho de menor potência consome menos energia do que um de maior potência, mas isso muito é relativo. Vamos explicar: ao analisar os selos de eficiência energética de dois aparelhos de uma determinada marca e com a mesma classificação energética, com as potências de 9000 BTU e 12000 BTU, podemos observar que os dois consomem, 16,9KwH/mês e 22,3KwH/mês, respectivamente. Sendo assim, podemos concluir que o aparelho de 9000 BTU consome menos energia por mês do que o de 12000 BTU
Resultado da imagem para selo procel ar condicionadoResultado da imagem para selo procel ar condicionado
Porém, esse resultado só é possível se o equipamento operar sob as condições adequadas, aquelas indicadas pelo fabricante e também pelo Inmetro. E para saber o número de BTU que um determinado ambiente necessita, é preciso que um cálculo seja feito. Esse cálculo pode ser feito em calculadoras online ou por um profissional especializado.
Resultado de imagem para ambiente climatizado
Quais os benefícios do correto dimensionamento?
Quando a escolha da potência do ar-condicionado é correta, ou seja, quando o ar-condicionado corresponde às condições indicadas pelo fabricante e pelo Inmetro, ele terá um funcionamento mais eficiente, o alcance da temperatura desejada será mais rápido, gerando economia de energia. Além disso, ele terá um baixo índice de desgaste, evitando a necessidade de manutenções que comprometerão a vida útil do aparelho.
Subdimensionamento
O subdimensionamento significa que a capacidade de refrigeração do ar-condicionado está abaixo da demandada, ou seja,
 o número de BTU é menor do que o ambiente necessita. Quando isso ocorre, o equipamento irá trabalhar sempre em sua capacidade máxima.
Problemas causados pelo subdimensionamento
O BTU/h é a unidade de medida relacionada ao tempo que o aparelho precisa para alterar a temperatura de um ambiente. Ao ligar um
 aparelho subdimensionado, ele irá demorar mais tempo para atingir a temperatura solicitada, independente da função programada. Esse tempo a mais faz com que o compressor opere armado (ligado) também por mais tempo, e quanto mais o compressor trabalha, maior será o consumo de energia.
Além disso, pelo esforço maior que o equipamento fará para alterar a temperatura do ambiente, seus componentes internos se desgastam mais rapidamente, exigindo seguidas manutenções.
Dependendo do tamanho do ambiente, esse aparelho subdimensionando, mesmo sendo forçado ao máximo, não conseguirá atingir a temperatura desejada pelo usuário.
Superdimensionamento
O superdimensionamento, portanto, significa o contrário. É quando o equipamento escolhido possui uma capacidade maior do que a demandada, ou seja,
 quando a quantidade de BTU é maior do que o ambiente realmente precisa.
Quais os problemas causados pelo superdimensionamento
Como explicamos anteriormente, um aparelho de maior potência consome mais energia do que um aparelho de menor potência, quando usados de forma adequada e quando instalados dentro das condições indicadas pelo fabricante e pelo Inmetro. Sendo assim, ao adquirir um ar-condicionado mais potente do que o seu ambiente necessita, você estará desperdiçando o seu dinheiro, desde a compra até o pagamento da conta de luz.
Dica extra
No caso do superdimensionamento, há uma única vantagem: seu ambiente ficará climatizado mais rápido, afinal o aparelho é mais potente. Porém, como foi dito acima, consumirá mais energia.

Redação do Portal WebArCondicionado.